terça-feira, 10 de maio de 2011

CriaçãO

video

Estava tão conivente com o cubo
que me encubei numa tarde molhada.
Encubada, teria mais tempo pra mim.
Já não cabia a idéia solta, descentrada.
Previ a cabeça enquadrada.
Liguei com o olhar os pontos dos cantos
com linhas retas raciocinadas.
Teci por horas a fio,
E vi-me de cubos ao cubo cercada.
Até que, em negro ponto, senti-me.
Sou energia, contida, concentrada.


                 Estou à espera do big-bang.

Nenhum comentário: